Vacinação para gestantes: saiba como se proteger na gravidez

Vacinação para gestantes: saiba como se proteger na gravidez

Um ato de amor e cuidado com o próximo é o significado da vacinação para gestantes. A imunização além de proteger a mãe, defende o bebê antes do nascimento e nos seus primeiros meses de vida.

Porém, vale ressaltar que, é fundamental tomar as vacinas corretas nesse momento, para que nada coloque a vida da mulher e da criança em risco.

Hoje, traremos neste artigo, a importância da vacinação para gestantes, quais vacinas são indicadas e outras informações relevantes para todas as mamães ficarem bem protegidas e despreocupadas durante a gravidez. Confira!

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO PARA GESTANTES

As vacinas recomendadas pelo médico na gestação são essenciais para a integridade da saúde do bebê e da mãe. Durante a gravidez, os anticorpos da mulher passam para o feto através da placenta e, após o nascimento, através do leite materno.

Algumas doenças podem ser inofensivas em outras fases da vida, mas durante a gestação podem ser fatais para ambos, por isso a imunização é tão importante. Muitas mães ficam com medo de tomar vacinas durante a gravidez por conta das medicações reagirem de forma negativa na fase gestacional, porém toda agulhada indicada pelos profissionais da saúde é segura.

Agora que você já sabe que é tranquilo se vacinar durante a gestação, continue a leitura e saiba quais vacinas são indicadas para gestantes.

PRINCIPAIS VACINAS PARA PROTEGER AS GESTANTES

De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação do Ministério da Saúde, as vacinas indicadas para as gestantes são:

  • Dupla Adulto (dT) – prevenção de difteria e tétano;
  • Hepatite B;
  • Tríplice bacteriana (dtpa) adulto – prevenção de difteria, tétano e coqueluche;
  • Gripe (influenza).

Essas são as vacinas indicadas no período da gestação e que não colocarão a vida da mãe e do filho em risco. No caso da gripe, a mulher tem que ficar muito atenta, pois adquirir infecções nesse período pode requerer algumas medidas mais severas que coloquem a mãe em estado de vulnerabilidade, como a hospitalização ou a necessidade de tomar medicamentos muito fortes para uma gestante.

Por isso que todas as vacinas indicadas pelos médicos são prioridade para as mulheres grávidas, com o intuito de imunizá-las o mais rápido possível, porque com essa atitude a pessoa estará protegendo a si e o bebê também.

Confira a seguir mais informações sobre cada uma dessas vacinas que nós citamos anteriormente e lembre-se de antes de marcar a imunização, converse com o médico que está acompanhando a sua gestação.

TÉTANO, COQUELUCHE, TRÍPLICE BACTERIANA OU DTPA-DIFTERIA

Essa vacina resguarda a mãe e a criança contra coqueluche, difteria e tétano. Todas essas doenças ocasionam complicações durante a gestação e são causadoras de altas taxas de mortalidade de bebês recém-nascidos.

Esta imunização deve ser tomada pela mãe a partir da 20ª semana da gestação e é de grande importância não atrasar, porque se o bebê nascer prematuro, ele já estará imunizado.

Mulher, mãe, atenção: se ao longo da sua vida você tomou pelo menos três doses da vacina de tétano, será preciso reforçar com a tríplice bacteriana durante a gravidez. Caso tenha tomado menos da quantidade indicada ideal, deverá completar com três vacinas antitetânicas, sendo que uma será a tríplice bacteriana. O mesmo passo a passo deve ser mantido caso você nunca tenha se vacinado com nenhuma dessas imunizações.

HEPATITE B

Náuseas, vômitos, dores musculares e mal-estar. Por ter sintomas mais comuns, semelhantes a um resfriado, a hepatite B não é uma doença fácil de detectar, principalmente nas grávidas. Caso a mulher contraia a infecção durante a gestação, o bebê pode ser contaminado, por isso a vacinação é indispensável.

Caso ocorra a contaminação, a complicação para o feto envolve infecção hepática crônica, com grande risco de morte por câncer no fígado ou até cirrose.

Como algumas mulheres já foram vacinadas contra hepatite B, isso anula a necessidade de nova aplicação. Porém, é necessário ter garantia dessa imunização com as três doses também. Caso não tenha certeza se já tomou alguma vacina de hepatite B durante a vida, solicite ao seu médico um exame de sorologia para descobrir se está ou não imunizada.

A vacinação contra hepatite B durante a gestação deve acontecer no primeiro trimestre. 

INFLUENZA (GRIPE)

Essa é uma das mais importantes vacinas para as gestantes, já que devido às constantes mudanças climáticas em nosso país, ficamos gripados constantemente. A vacina de influenza imuniza a mãe e o bebê contra o vírus da gripe, protegendo ambos de quadros mais graves da doença, como a evolução para um quadro de pneumonia. Como gestantes costumam ter queda de imunidade, o alto risco de complicação é maior.

Essa imunização pode ser adquirida mesmo se a mulher tiver tomado em um momento anterior à gestação, porque vai protegê-la na gravidez e consequentemente o bebê.

A dose dessa vacina é única e pode ser aplicada em qualquer momento da gestação e após o parto.

Outras vacinas

As imunizações que falamos anteriormente são fundamentais para preservar a saúde da mãe e do filho, mas existem outras vacinas que precisam ser analisadas junto ao seu médico. Confira:

  • Meningocócica conjugada ACWY;
  • Meningocócica B
  • Febre Amarela
  • Vacinas pneumocócicas
  • Hepatite A

Todas essas vacinas que citamos podem ser indicadas pelo médico caso a mãe tenha tido contato com algum agente transmissor da doença, se exposto em regiões com risco epidemiológico, ou quando a mulher grávida corre grave risco de doença pneumocócica invasiva.

Sempre converse com o seu médico antes de tomar qualquer atitude referente a aplicação de uma vacina ou ingestão de um remédio.

Vacinas contraindicadas

Queremos também mencionar algumas imunizações que não são indicadas para as gestantes, são elas:

  • Tríplice Viral – Sarampo, caxumba e rubéola
  • HPV e varicela (catapora)
  • Dengue

Covid-19

Mulheres grávidas, lactantes e puérperas (que deram à luz recentemente), podem e devem tomar a vacina contra Covid-19.

De acordo com um estudo do IDSA (Infectious Diseases Society of America), publicado pelo periódico Oxford Academic, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, alega que grávidas com Covid-19 têm 17 vezes mais chances de óbito do que gestantes sem a doença.

Por isso, converse com o seu médico e não deixe de garantir a proteção para você e para o seu bebê.

PROTEÇÃO NA GRAVIDEZ

Hoje, você viu neste artigo, que cada vacina tem seu papel fundamental na vida da gestante e deve ter uma atenção extra por parte da mãe quando o assunto é imunização. Além da vacinação, existem diversos cuidados que as mulheres grávidas precisam tomar para ampliar e fortalecer a proteção da gestação e da saúde do bebê.

Esteja em constante debate com o seu médico sobre temas como esse e caso ainda não se sinta confortável com a resposta de um especialista, busque a opinião de outros, que te passe mais convicção e que leve sempre em consideração a segurança da vida de ambos durante o período gestacional.

Gostou do post de hoje? Acompanhe nosso blog e fique de olho em nossos conteúdos. Estaremos trazendo constantemente assuntos de grande importância para a saúde das mulheres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meu carrinho

Carrinho